Website under construction

Soon online

×

O internato Kasa Koia

Ao longo dos anos, a necessidade de acomodar crianças das outras ilhas para frequentarem a escola tem aumentado. Isto deve-se às seguintes razões:
- falta de escolas nas ilhas de origem das crianças
- a escola da ilha não oferece uma educação adequada ou simplesmente não funciona (falta de professores, meios financeiros, etc.)
- as crianças ficam com familiares. No entanto é-lhes muito difícil, aos familiares, a sobrevivência, daí que não possam alimentar mais uma criança.
Até agora parecemos ser a única ONG no arquipélago que tem funcionado bem, tentando providenciar comida para um grupo de estudantes da ilha Canhabaque. Falamos de alunos do ensino secundário.
Temos recebido um orçamentos anual de € 1.000,00 do Rotary Club “Antwerpen –Oost”, mas o número de estudantes continua a aumentar e eventualmente não conseguiremos continuar a alimentar todo o grupo.
Além disso, havia muitos mais estudantes mais novos (7 – 12 anos)
A organização holandesa “Bits for Kids”, que também promove projetos para crianças em países em desenvolvimento, permitiu-nos explicar o nosso sonho e consequentemente concordaram em apoiar-nos.
Assim viajámos para Bubaque com uma missão concreta: procurar uma casa com possibilidades suficientes para ser transformada num internato ou encontrar um pedaço de terra adequado onde pudéssemos construir. Eventualmente decidimos avançar para a construção.
Os Ministérios da Educação e da Saúde concordaram com o fornecimento de artigos alimentares básicos (arroz, feijão, batatas e sal). Nós temos de completar a ementa com produtos frescos (peixe e carne, vegetais, fruta) e outros produtos (açúcar, sopa, pasta de dentes, etc.). Também temos de pagar os salários do guarda e do diretor, bem como as taxas e equipamento escolares e os possíveis cuidados médicos das crianças. De forma a garantir a continuidade do internato necessitamos urgentemente de mais padrinhos/pais de criação.
O sistema elétrico (energia solar) foi oferecido pela Solinq e voou para Bissau gratuitamente pela DHL (ambas as empresas são patrocinadores da Bits for Kids). O nosso bom amigo Georges De Buysere, membro dos Engenheiros sem Fronteiras, acompanhou-nos de modo a orientar o sistema.
A 29 de Fevereiro de 2012 estávamos prontos para abrir o internato “Kasa Koia “(*) oficialmente na presença das autoridades locais. A imprensa local e nacional estiveram representadas por um jornalista.
O pagamento mensal do guarda (20.000FCFA ou € 30,53) e o pagamento do cozinheiro (15.000 FCF ou € 22,90) são muito baixos mas neste momento não podemos pagar mais. Ainda assim, estas somas devem ser no mínimo duplicadas em pouco tempo. Ndao empossou uma diretora feminina que pretende liderar o internato com 30.000 FCFA (€ 46,15) por mês. No entanto, esta quantia terá de ser consideravelmente aumentada num futuro próximo se o número de crianças aumentar.
A nossa meta é: começar a casa 1 (com 7 crianças neste momento), ano escolar 2015-2016: 2 casas (máximo de 15 crianças), ano escolar 2016-2017: 3 casas (máximo de 21 crianças). O número máximo de crianças é 30 (10 por casa).
De forma a cumprirmos o nosso sonho, temos de encontrar urgentemente pais de criação que estejam dispostos a patrocinar € 15 por criança anualmente. A fundação “El dinero encontrado” concordou em ajudar-nos no funcionamento do internato no primeiro período.
O internato de Bubaque é um grande e importante projeto para o qual muitas pessoas têm contribuído e graças a isso muitas pessoas e pequenas pessoas podem olhar em frente para uma melhor vida. Agradecemos a todos os que nos ajudaram a cumprir este sonho!
Patrocinadores mais importantes: Bits for Kids, fundação “El Dinero Encontrado”, Rotary Club Antwerpen-Oost, Engenheiros sem Fronteiras e os nossos fiéis pais de criação: muito obrigado!

(*) Koia era um “rei” local (tradicionalmente dirigia a vila, região ou comunidade) que era completamente dedicado ao seu povo. Ele morreu em 2011.

Projetos actuais

Há muito para fazer!  Os nossos meios são limitados: optámos momentaneamente pelos projectos mais urgentes e especialmente pelos domínios da educação e da saúde.

Projectos a longo prazo

Além dos projectos a decorrer, que exigem continuidade e que consequentemente têm de ser financiados por um longo período de tempo, planeamos muitas outras iniciativas:


  • Casas assistenciais nas ilhas. Há somente um médico disponível para todas as ilhas. Ele trabalha num hospital em Bubaque. A maioria das ilhas não tem sequer uma casa de assistência para fornecer primeiros socorros ou cuidados urgentes. Custo estimado por posto de assistência: XOF 1.000.000 (€ 1.525,00). Manutenção e reabastecimento dos medicamentos necessários: XOF 250.000 (€ 381,00), anualmente.
  • Formação de professores. Precisamos de mais professores para a escola secundária. A formação de professores é uma prioridade. Custo estimado: XOF 750.000 (€ 1.150,00) por estudante por ano.
  • Formação de médicos e enfermeiros. Precisamos urgentemente de pessoal médico qualificado. Neste momento há somente um médico para todas as ilhas (cerca de 20.000 habitantes) e está a ficar desmotivado, é uma tarefa muito pesada para uma só pessoa. Os enfermeiros aprendem com a prática, o que significa que, ainda que a sua dedicação seja inquestionável, a qualidade dos cuidados pode ser duvidosa. Os enfermeiros têm ainda, por vezes, de substituir o médico. Custo estimado: medicina/nível universitário ou enfermagem/universidade tecnológica ou colégio, XOF 1.000.000 (€ 1.500), anualmente.
  • Formação profissional. Nem todos têm o talento para se tornarem professores ou enfermeiros. No entanto também são necessários operários e artesãos. Para tal estamos a começar uma espécie de “escola profissional”. Isso significa que um artesão (homem ou mulher) toma conta de 3 aprendizes, isto durante um período de 3 anos, de modo a ensinar um certo ofício, como canalizador, electricista, mecânico (reparação de barcos e carros agregadas), artesãos do vime, carpinteiros. Uma educação teórica mínima de 1 dia por semana irá mais tarde capacitá-los como artesãos independentes (primeiro nível: ler, escrever, aritmética; segundo nível: idem; terceiro nível: ibidem mas com leitura de planos (esquemas) e desenho de especificações). Custo: XOF 500.000 por estudante por ano (€ 750).
  • Construir uma escola profissional. Com o intuito de agrupar todos os estudantes que seguem o ensino profissional e de assegurar o material posto à disposição da escola pela ONG, é necessário um edifício com várias classes e workshops. Isto trará um controlo mais minucioso e poderá prevenir a exploração dos estudantes pelos professores, fazendo trabalhos privados (preparar comida ou outras tarefas que nada estão relacionadas com a formação em si). Em Fevereiro de 2010 começámos um curso de técnicas de costura e tricô e já tivemos problemas em armazenar o material doado por simpatizantes na Bélgica. Tememos que a formação profissional de electricistas, pedreiros, carpinteiros, etc., traga ainda mais problemas relativos ao armazenamento. Custo estimado para a construção e aparelhamento do edifício: € 10.000,00 (65.000.000 FCFA).
  • Fundo de Socorro. Necessitamos urgentemente de começar um grupo de socorro para aqueles grupos da população que foram forçados a abandonar as suas aldeias devido a catástrofes (abrigos temporários, comida, ajuda na reconstrução…). Capital mínimo para começar: XOF1.000.000 (€ 1.500). Gasto anual estimado: XOF 500.000 (€ 765,00).
  • Equipamento escolar: há uma falta constante de material educacional: todo o material de escrita (papel, livros de exercícios, canetas, lápis, afiadeiras, borrachas, lápis de cor), giz, livros de texto, malas e sacolas, secretárias, … Custo anual estimado: XOF 1.000.000 (€ 1.530,00).
  • Próxima fase do mercado coberto. De forma a acabar a cobertura de todo o mercado, serão necessários mais € 17.000. A primeira fase foi completada com sucesso em 2005. A próxima fase, fortificação das fundações, elevação dos pilares existentes e do telhado, será a mais dispendiosa: € 10.000. A terceira fase será a de acabamento e custará cerca de € 7.000,00.
  • Desporto: para oferecer aos mais novos actividades de lazer significativas, de modo a mantê-los “afastados das ruas” (para prevenir que sigam por maus caminhos) a equipa local de futebol precisa de apoio. Gostaríamos de fornecer equipamento (calçado, meias, t-shirts, etc.) e um kit de primeiros socorros.